Pense antes de gastar. Recicle, reuse, reinvente. Doe o que não usa mais. Tente viver com menos. Gaste menos: dinheiro, luz, água, combustível. Diminua o tamanho do lixo que produz. Prefira produtos ecológicos. Adote o pensamento verde. Use a criatividade.



domingo, 19 de junho de 2011

Dia 41 - Compras necessárias

Não contei com detalhes, mas me mudei dias antes de tomar a decisão do ano sem compras.
Saí de um apartamento enooooorme no centro, onde morava com minha filha e dois amigos dela, para um aparmento de dois quartos no bairro. Era uma fase em que, além de trabalhar muito, estava com os finais de semana todos tomados, por um ou outro motivo - e aí, obviamente, a bagunça começou a ser arrumada em capítulos.
Comecei a me instalar pelo segundo quarto, onde coloquei roupas, sapatos, livros, fotos, minha cômoda linda onde guardo material de artesanato... mas aí, no meio do caminho, minha filha que estava alugando uma quitinete no centro teve problemas com o contrato, e se viu com o apartamento anterior entregue e sem um novo pra morar. A solução mais óbvia (eu já a tinha convidado desde o começo) era vir morar comigo. Mas aí, né, fala sério: eu já tinha me espalhado, aff! Então tive que refazer algumas coisas estratégicas, mas a sala ficou entulhada de coisas:

1.  minha cômoda (com o espelho do móvel que foi pra Paula em cima);
2. minha mesa (que na verdade é uma mesa de varanda, de madeira maciça, mas que amo e não quis me desfazer) e cinco cadeiras;
3. a mesinha de escola com o microondas em cima, que Paula e Matheus vão levar com eles quando vierem, semana que vem;
4. duas caixas enormes que eles vão levar também (e eu nem me lembro mais o que tem dentro);
5. uma mala antiga da mãe do irmão deles (sim, meus filhos tem um irmão por parte de pai, que é quase meu filho também);
6. o cabide de bolsas (cheio delas) da Maya;
7. o sofá rasgado que ficava no segundo quarto (apesar de gostar mais dele, tá horrível, precisa reformas urgente);
9. o sofá (preto) da sala (que é de couuro sintético, gelado);
10. o baúzinho redondo onde guardo roupas de cama;
11. as caixas onde guardo fotografias (estão sobre o baú);
12. a mala antiga, decorada com fotos P&B que comprei na Benedicto Calixto, em Sumpaulo;
13. meu armariozinho antigo que revesti de contact preto;
14. uma estantezinha baixa, de duas prateleiras, que comprei na Tok & Stok;
15. um pufe azul em forma de meia lua;
16. a cama elástica da Maya;
17. zilhões de almofadas coloridas;
18. um tapete claro (imundo, que não consigo limpar);
19. um rolo de plástico bolha que herdei ao alugar a casa;
20. o protótipo de uma estante que fiz com lixeiras redondas, tipo pvc.
21. uma caixa de roupas para doação, que Maya quer trocar num brechó.


Baú/mala da Benedicto Calixto, onde guardo cds/dvds antigos.

Dá pra imaginar que tá uma zona total, não? Então ontem, sábado lindo de sol em Curitiba, acordei inspirada e pensei que ia diminuir um pouco esta bagunça: coloquei no carro quatro caixas cheias de coisas pra doação (utensílios, roupas, livros, revistas, um liquidificador, um registro de gás, coisinhas), uma televisão antiga de 14 polegadas, uma estantezinha para TV que herdei junto com a casa e fui até o asilo São Vicente levar tudo. Não, estas coisas não constavam da lista aí de cima.
Peguei duas portas de um guarda roupa velho (quando Maya se mudou pra cá, o meu guarda roupa que tinha deixado com ela estava inutilizado, todo mofado, ficava encostado na parede do quarto com o banheiro. Salvei as laterais e uma divisória, para usar futuramente como prateleiras), fui até um marceneiro aqui perto e cortei no tamanho para colocar as prateleiras no meu quarto, ao lado do guarda roupas, atrás da porta - resultaram em cinco pranchas de madeira. Problema: a furadeira (emprestada) não tinha broca no tamanho seis. Eu tinha cinco pranchas de madeira e apenas quatro jogos de mão francesa (guardados da Bahia, que a Maya queria porque queria que eu tivesse dado). E não tinha parafusos e buchas suficientes. Resultado? Fui à Cassol, comprei a broca, os parafusos, um jogo de mãos francesas. Gastei R$23,15. Pois é, foram as primeiras compras de algo que não alimentação/higiene que fiz nestes quarenta e um dias sem compras - e é algo que se encontra no absolutamente necessário que entendo.
E agora vou terminar de colocar as prateleiras que comecei ontem, e que vão resolver uma parte (pequena) do meu problema.
A parte maior vai ser decidir qual sofá permanece, já que os dois deixam a sala muito cheia e não gosto assim. Mas aí, finalmente, a sala ficará habitável, agradável - e a energia poderá fluir.

Esta cômoda, meu xodó, veio da Síria,
segundo o vendedor da loja de usados onde a comprei. Não é linda?





3 comentários:

Marina disse...

Nossa Lu, que loucura a sua vida de mudanças e andanças! E toda família na mesma onda.... Tem épocas da vida em que está tudo assim, bagunçado em trânsito para que a gente consiga ajeitar as coisas melhor. Achei que as coisas que você comprou se justificam e estão dentro da sua regra então, don´t worry about a thing ´cos every little thing is gonna be alright!

Desculpe se andei sumida, mas tive algumas coisas que absorveram bastante a minha atenção. Grande abraço!

Marina

Paula de Assis Fernandes disse...

Ok. Talvez a bagunça e o item 3 me façam desistir da viagem. ;)

Ieda disse...

Lu,
Agora virei mais ainda sua fã ! Ficar sem comprar "coisinhas" novas em plena época de mudança...Isso é que é força de vontade !!!
Bjs,
Ieda

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...