Pense antes de gastar. Recicle, reuse, reinvente. Doe o que não usa mais. Tente viver com menos. Gaste menos: dinheiro, luz, água, combustível. Diminua o tamanho do lixo que produz. Prefira produtos ecológicos. Adote o pensamento verde. Use a criatividade.



domingo, 15 de maio de 2011

Semana Um

Bem corridinha essa semana, viu? E hoje, primeiro domingo após a resolução tomada, o passeio que iríamos fazer à São Luís do Purunã furou: Curitiba amanheceu sob chuva e frio. As pousadas tem um pedaço de estrada que é terra, então... adiado.
Aproveitar que Maya dorme e o prédio está em silêncio pra escrever um pouco.
1. Na quinta feira passei por uma prova de fogo, aiai. Fui pagar as lojas de departamento: Renner e C&A, nossa! Não dá pra fazer o que eu fiz, não. Saí do trabalho e fui ao Mueller pra isto e pra lanchar, mas é muito complicado. Foi legal que me coloquei à prova (apesar de ainda ser muito cedo, eu sei, mas já deu prá perceber que a coisa fica muito complicada por saber que não posso comprar nada até ano que vem!). Pra piorar, encontrei um casaco lindomaravilhosotudodebomvermelho que eu procurava há algum tempo, e nunca tinha encontrado um que gostasse: poizé. Neste caso, até parece que eu estava dizendo ao designer: "coloca um bolso assim. Isto, agora uma gola assim. Perfeito! E se acinturarmos um pouquinho? Aí!!! Este é o meu casaco!!!" É, mas não era o meu casaco, porque resisti à tentação.
2. Interessante alguns comentários que ouvi:
"Nossa, mas sua situação tá tão braba assim pra você ficar um ano sem gastar?"
Não, na verdade não. Não estou no azul, tenho que ser sincera, mas já estive em situações bem mais complicadas, que pareciam insolúveis na ocasião. O que acontece é que compro muito por impulso! Ontem mesmo aconteceu algo interessante, fui levar Maya pra uma reunião do CAEM, e fiquei esperando no Shopping Jardim das Américas, que é ao lado do Politécnico e que eu não conhecia. Aproveitei pra pagar a Marisa (é, ainda tem a Marisa) e lá tinha uns casacos lindos (não costumo gostar muito das roupas de lá, mas esta coleção está muito boa!), e uma meia que vou te contar, ia ficar top com bota e vestido.Encontrei um livro fantásticomaravilhoso  com TODAS (é, eu disse todas!) as tirinhas da Mafalda. Encontrei uma bateria em miniatura show de bola, é um negro sorridente tocando, imagina o que pensei na hora? Claro, mais uma pra coleção do Ray! Depois, na praça de alimentação, uma loja em promoção de casacos: um sobretudo preto e cinza, que amei, por metade do preço! Quando a Maya chegou disse à ela o quanto tinha sido interessante o exercício: se eu não estivesse comprometida com meu desafio pessoal, teria comprado no mínimo o livro e a bateria. Tô começando a gostar desta história!!!  =D
"Vai ser legal, já que você sempre tá tentando dar novo uso às coisas..."
Isto é um capítulo à parte! Inclusive, lendo o post da Marina, pensei que preciso também colocar aqui algo sobre isto. Tem um texto ótimo de um colega de trabalho (inclusive já pedi sua permissão para citar partes) que fala sobre consumo colaborativo. E quem me conhece sabe que, embora seja compulsivamente consumista, me preocupo muito com isto e com o impacto sobre o meio ambiente (paradoxos da vida). Maya vive me criticando por ser "lixeira". Se vejo uma gaveta no lixo, já penso logo que pode virar uma estante. Sabe o rolinho de papelão que fica quando o papel higiênico acaba? Então... os terminais do trabalho usam bobinas enroladas em tubinhos naquele estilo - só que muuuuuuuuuito mais fortes e resistentes. Guardei (por mais de um ano) todas as bobinas utilizadas. Pensava em fazer algo, sei lá, um pé de mesa, uma mesinha de centro, algo, enfim. Mas tive que colocar no lixo reciclável, este apartamento não tem espaço pra guardar estas coisas... vivo me preocupando com o uso excessivo de copinhos de plástico, já fiquei meio surtada contando o número de embalagens plásticas/pet acumulava no dia, na semana, no mês. Passei a só comprar material de limpeza em embalagens grandes. Começamos a praticar, no trabalho, o transporte solidário (moramos, eu e dois colegas, no mesmo bairro. Dividimos a garagem perto do trabalho e vamos, a cada semana, no carro de um.) É bom pro bolso, e o meio ambiente agradece: ao invés de três carros com uma pessoa apenas, agora temos um carro com três pessoas!

Um comentário:

Marina disse...

Chuvitiba realmente está gelada!!! Nossa, sou doida pra ir a São luís do Purunã e aqui em casa a torcida pra fazer essa viagem é de todo mundo!!! Acabei saindo pra almoçar e depois voltei pra casa. Tô meio viciado nessa coisa do blog e passei a tarde fazendo brainstorming comigo mesma. uhuuuu! Olha, já penseio em fazer o esquema de dividir o carro como você faz mas ninguém no trabalho animou porque cada um mora em um canto....

Estou curiosa pra saber o que você resolveu quanto a comprar presentes. Eu não conseguiria ficar sem, mas tem pessoas que sabem fazer vários tipos de artesanato e aí fica mais fácil. Eu pensei em presentear com artesanato mas como faço pouca coisa acho que não ia dar muito certo.

Abraço e tudo de bom!

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...